Inovações criativas

Inovações criativas – como usar a criatividade para eventos artísticos em meio a pandemia

 

Texto: Debora Silva Santos
Foto: Divulgação

 

O mercado artístico, está sendo um dos mais afetados perante a situação pandemica que estamos vivendo desde o  inicio do ano de 2020.
Com todos os cuidados necessários para a proteção individual, todos os concertos de música ao vivo e as apresentações artísticas de qualquer modelo, foram canceladas.

Dessa forma, muitos artistas  encontraram dificuldades em relação a sobrevivência através do seu trabalho, mas é claro que esses obstáculos fizeram com que as habilidades criativas de muitos músicos por exemplo, criassem maneiras que pudessem se encaixar com as novas regulamentações com segurança, fazendo com que alguns pequenos concertos pudessem ser celebrados, mas de uma maneira um tanto inesperada.

Um dos fatos ocorridos recentemente, foi com a banda de rock Flaming Lips que para a realização de um dos seus shows na cidade de Oklahoma (EUA), resolveram utilizar bolhas individuais – isso mesmo, não somente o público utilizavam essas bolhas, mas também os músicos no palco.

Foi feita uma adaptação nessas bolhas com ventilador individual movido a pilhas, auto falantes, placas com dizeres para informar à algum atendente se está muito quente ou se caso a pessoa precisasse ir ao toalete e uma garrafa d’agua. Essa ideia surgiu do líder da banda Wayne Coyne, que anteriormente a pandemia, utilizava bolhas para passear por cima do plateia em um dos momentos de interação com os fãs.

Antes mesmo da pandemia, Coyne utilizava uma bolha nos shows para “rodar” pelo público. Foto: BBC News Brasil

 

 

 

 

 

 

 

Essa não foi a única forma inusitada de se assistir à um show musical em tempo de  pandemia, os drive-ins começaram a voltar a atividade,  claro, que a capacidade  rentável é bem inferior ao de um show padrão, pois tanto os drive-ins como a ideia de criar bolhas individuais, existe uma limitação de público presente, pois aglomerações não são permitidas.

Parques como o Burle Max em São Paulo, um dos primeiros a começar a ceder seu espaço para inovações criativas para o gênero de apresentação musical possui a capacidade para 8mil pessoas, passou a receber apenas 480 pessoas distribuidas em 120 carros para cada evento celebrado no local via drive-ins.

São iniciativas quais podem incentivar os demais artistas do meio musical e de outros formatos a desenvolver novas abordagens ou a aderir a esses conceitos inovadores.Além dos drive-ins serem utilizados para essa finalidade, os cinemas também aproveitaram para utilizar seus estacionamentos para a reprodução de filmes, procurando de várias maneiras sobreviver em meio as  restrições e a dificuldades do convívio social geral.

Momentos como esse, trazem grandes reflexões, é necessário pensar um pouco fora da caixa para que as soluções apareçam e  para que você consiga encontrar uma maneira segura e tranquila de ainda poder viver do seu trabalho autônomo;  mesmo que sua rentabilidade seja reduzida, é um momento de apertar os cintos e buscar ser aliada da criatividade, dessa forma, toda crise pode ser superada e as dificuldades podem ser usadas como ferramentas de crescimento – em todos os campos da vida.

 

 

 

 

0.00 avg. rating (0% score) - 0 votes

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Send this to a friend